quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Aledá




Salve Deus!
Meus irmãos e minhas irmãs.
Mais um texto doutrinário, hoje sobre o Aledá. O Aledá no templo (onde fica?), o Aledá em nossa casa (Como fazer e para que serve?), o Aledá no nosso coração (Como o realizar?). Neste texto todas as vossas duvidas serão dissipadas se é que existem.


ALEDÁ NO TEMPLO
        O Aledá, no Templo, é a parte posterior da Pira, onde mestres e ninfas fazem entrega das forças por eles trazidas da Estrela Candente e do Quadrante, e é onde Pai Seta Branca incorpora para dar sua bênção. Ali fica o comando do trabalho do Leito Magnético. Também é no Aledá que se fazem outras consagrações, tais como Elevação de Espadas e de Centúria e os Casamentos. O cortejo da Cruz do Caminho por ali passa, e a Divina é coberta com o véu e recebe as atacas, passando a receber a projeção de Mãe Yemanjá.
        É, também, Aledá um ponto de concentração e cruzamento de forças, onde o Jaguar manipula as energias de que dispõe, e corresponde a um altar. No Aledá o Jaguar recebe as  forças de seu Povo, de seu Ministro, de sua Princesa, de seu Cavaleiro e, se for  uma ninfa, de sua Guia Missionária e de sua falange missionária.
        No Aledá foram feitos os velórios de Tia Neiva (14 e 15 de novembro de 1985) e do Trino Arakém, Mestre Nestor (2 e 3 de outubro de 2004).
        O Aledá é o ponto de encontro com a Espiritualidade, como se transmitisse, para si e para o seu lar, o poder de uma cassandra. Pela sintonia e harmonia, o Jaguar forma o seu Aledá emitindo, nos horários precisos - 12, 15 e 18 horas:
        “O SENHOR TEM O SEU TEMPLO EM MEU ÍNTIMO! NENHUM PODER É DEMASIADO AO PODER DINÂMICO DO MEU ESPÍRITO! O AMOR E A CHAMA BRANCA DA VIDA RESIDEM EM MIM!”
        Aplicando esta chave, recebe toda a energia que merece, projetada pela Amacê da Estrela Candente, mantendo-o como um Sétimo do Reino Central.
        Para o Aledá em seu lar, deve escolher local tranquilo, fora de um dormitório, onde o mestre ou a ninfa possa se concentrar e trabalhar quando necessário.
        Pela grande concentração de forças que pode alcançar em seu Aledá, o Jaguar pode fazer manipulações de energia em seu próprio benefício ou de irmãos encarnados ou desencarnados, inclusive fluidificar a água, o 3º Sétimo.
        Todavia, o primeiro e principal Aledá deve ser erguido no coração do Jaguar, com amor, humildade e conduta doutrinária, para que possa ter condições de manipular eficazmente todo o poderoso feixe de energias que a Espiritualidade coloca a seu dispor, para atender na Lei do Auxílio.
        No Aledá pode-se fazer o ponto de força conforme explicação de Koatay 108 “Ponha uma toalha branca em uma mesa, acenda uma vela, ponha um copo de água, seu talismã, sua cruz e um pequeno defumador. Faça a Prece de Simiromba, sentindo com amor a presença dos Mentores e, em Jesus, processe a sua cura, a cura desobsessiva.(...) Se coloque neste pequeno ritual e faça sua cura. Se um Preto Velho quiser baixar, poderá fazer o seu Aledá. Agradeça a Deus, com amor!” (Tia Neiva, 13.10.83)
        “Se eu tiver - EU - 7 Raios na Linha de Koatay 108, em minha linha decrescente autorizada, crio, aos poucos, a minha estação, o QUE É MEU, o que cabe, por Deus, aos meus esforços, ao meu amor, ao meu plexo em harmonia. Isto é o meu pequeno ALEDÁ, que servirá aos meus dependentes num mesmo conjunto de forças.
        Um só Aledá, de pequenas estações, na proporção do meu amor e na harmonia dos três reinos de minha natureza, que é o meu SOL INTERIOR. Na conjunção de um Adjunto, vou também emitindo e edificando a minha estação, o meu Aledá.
        Porque - podem perguntar - somente um Adjunto consagrado em seu povo decrescente? Porque somente um povo decrescente consagrado em uma força  poderá emitir a sua energia no que É SEU! Digo, no posto, na legião originalizada, na amplidão do que é seu, o seu Aledá, o seu Terceiro Sétimo.” (Tia Neiva, 9.10.79)

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

A "Escrava do Adjunto"




        Salve Deus!
        Meus irmãos e minhas irmãs.
        Este texto do Adjunto Adelano, mestre Gilmar, está muito bem explicado o que é a ninfa “Escrava” na nossa doutrina, o seu significado e a sua importância.

A Escrava do Adjunto

        Texto escrito por: Adjunto Adelano - Mestre Gilmar

        Salve Deus!
        Nossa corrente por ter uma grande herança espartana, ainda presa por alguns desses valores. Na sociedade espartana o homem era o mandatário da casa e dos poderes sociais do estado. A mulher tinha a responsabilidade de manter a casa e servir ao homem, mesmo os filhos não eram dados a mulher para educa-los, eram entregues ao estado que dos sete aos setenta anos eram condicionados a serem soldados.
        Em nossa doutrina essa herança se faz na condição que os Doutrinadores é que decidem, conduzem a doutrina em todos os sentidos. Os Mestres Aparás num sentido geral ficou a atribuição de servir em função da mediunidade de incorporação.
        Como Tia Neiva Neiva criou Doutrinador e Apará, essa ação se faz também nos trabalhos, ou seja, sempre aos pares. Em nossos trabalhos, muitos deles, para a sua realização é necessário para que a força se faça presente tenha sempre positivo e negativo, entendendo-se essa polarização a nível de forças. O Doutrinador sempre é considerado o lado positivo condutor dessa força e o Apará (Ninfa lua o lado negativo) a união entre os dois possibilita a ligação com os planos espirituais.
        Tia Neiva vai mais além, dentro do aspecto da força iniciática cria o continente, onde um Adjunto é o gestor físico e espiritual desse continente. Para que esse continente pudesse existir como centro receptor e emissor de forças foi necessário distribuir posições ocupadas por individuo para que possa força fosse geradora e giradora.
        Ela então disse que o Adjunto teria que ter um conjunto de no mínimo 49 mestres na formação desse continente. Uma Ninfa lua (sua escrava) um padrinho Ajanã, madrinha (Ninfa sol) e os demais componentes que faziam 49 mestres.
        Portanto a ação dos mestres em nossa doutrina não se faz somente no plano físico, a escrava do Adjunto (Ninfa lua) ela e atenuadora de forças, a companheira tanto a nível da execução dos trabalhos quanto também nos planos espirituais quando os dois partem em missões na busca da captura de sofredores.
        A escrava por sua condição biológica, sua maternidade, é composta de um conjunto hormonal que favorece o intercambio das energias mediúnicas. Sua condição maternal é crucial na relação com o corpo mediúnico.
        Em nossa doutrina não é crucial que a escrava (aquele que serve o mestre) seja sua esposa ou parente, muito embora nos planos espirituais quem acompanha o mestre nas missões é a escrava. O Nome escrava está muito na condição que a Ninfa serve ao mestre incondicionalmente, mas na verdade em sua missão principalmente no canto de sua individualidade (escrava) ela na verdade vai à frente do mestre espiritualmente e o projeta, o evidencia na sua missão.
        Tia Neiva certa feita em uma aula dominical brincou, dizendo que o Apona não entraria no céu.. mas ao brincar dessa forma estava ela fazendo uma afirmativa quanto ao caráter da polarização da força, assim como nenhum mestre Apona consegue projetar sua força sem esse casamento de polaridade forças positivo/negativo.
        O Ajanã por sua vez não tem escrava, por ser um médium de incorporação, não conseguir encaminhar na precisão iniciativa sua energia, dada que a mesma tem um teor de multiplicação da energia. Também a Ninfa Sol que emite na força ou ordem do Ajanã não tem “escravo”, por também não comandar. O Ajanã embora médium de incorporação traz a polaridade negativa e a Ninfa sol positivo(força) por essa razão também não se coloca um Ajanã ao lado de um doutrinador na mesa evangélica, pois ambos tem polaridade positivas.
        Se pensarmos a nível de força veremos que alguns trabalhos a Ninfa Luas emite primeiro como na entrega de energia, ela chega primeiro ao plano espiritual como anfitriã da energia conquistado por seu Mestre naquela escalada. O Padrinho quando seu afilhado tem que realizar uma missão espiritual, ele o Ajanã vai primeiro e faz uma espécie de varredura, juntamente com seu Preto Velho, preparando a caminhada do Doutrinador que trará todos os poderes que lhe são conferidos.
        A Escrava do Adjunto faz um pouco do que Tia Neiva fazia com sua condição de mãe e organizadora das coisas da doutrina, é ela que tem que se relacionar com as ninfas, cuidar da organização das indumentárias e do templo..
        Ainda a muito que temos que pensar e analisar sobre o que a Clarividente nos deixou, e o Doutrinador consciente ao lado de sua escrava, ainda encontrará condições espirituais para desvendar e trazer o significado de muita coisa desse mundo mágico de Tia Neiva.
        Resposta elaborada pelo Adjunto Adelano, Mestre Gilmar para alguns questionamento sobre o texto acima:
        Salve Deus!
        Muito embora o a forma de execução da doutrina tenha um tendência a dar ao homem uma condição de liderança e de certa obscurecer a função da mulher, temos que levar em consideração que a doutrina nasceu de uma mulher e Tia Neiva nunca comandou nenhum trabalho. Não trata-se de nenhuma segregação, mas sim do cumprimento de algo que está acima de nossa forma de compreensão.
        Outro fato interessante em nossa doutrina é que os títulos catedráticos conquistados nas escolas e universidades não tem o mesmo valor em nosso meio. Nossa Clarividente mal tinha o primário. O importante na doutrina é algo que está acima das convenções sociais e aqueles que alcançam um nível de entendimento iniciático sabe que forças espirituais é algo que foge do domínio humano, é constituído de heranças espirituais onde a sabedoria é diferenciada do conhecimento comum.
        A escrava, a companheira do Mestre é seu suporte, é apoio tanto no plano físico quanto no espiritual que consolida a missão do Mestre deste Amanhecer. E antes de falarmos em forças, cabala, movimentação das energias que vem de Deus Pai Todo poderoso, lembremos do coração do homem, sede das emoções, onde é registrado todo tesouro que ela acumula nessa existência. A escrava, aquela que emite o seu Mestre, que o trata como companheiro, mestre e lhe induz a ser verdadeiramente um comandante dessa doutrina. A condição mediúnica que escapa da compreensão de muitos, principalmente daqueles que estão atrelado a valores físicos entenderão a mensagem da Clarividente e de Neiva Chaves Zelaya uma caminhoneira, mulher simples, sergipana, com pouco mais de um metro e sessenta e quatro centímetros, mas em sua grandeza, força e poder, foi e é uma gigante para poder palmilhar entre tantos homens, e de certa dominar comandantes de tropas, gladiadores, senadores etc.. e transforma-los simplesmente em missionários de Pai Seta Branca.

A Cassandra




        Salve Deus!
        Meu irmão minha irmã.
        Um texto sobre a Cassandra, sua lei e o seu poder.

        CASSANDRA ou Estufa é um ponto de captação de energia, dentro do Templo, onde se localiza um ponto de força dos Trinos, dos Adjuntos ou das Falanges Missionárias. Mestres e ninfas podem se sentar e se concentrar na cassandra de seus respectivos Adjuntos.
        Segundo Tia Neiva, os Ministros pediram que ela providenciasse um local para que cada um deles pudesse emitir sua força, uma vez que elas estavam sendo dispersas pela Corrente Mestra. Assim, foram feitas para cada um dos Adjuntos Arcanos, no Templo-Mãe.
        Na cassandra se projeta poderosa energia daquele Ministro de Deus (é o RADAR do Ministro) ou da Princesa da falange missionária, conjugada com Simiromba e Obatalá, que pode ser manipulada, ali sendo mentalizados locais ou pessoas, problemas físicos ou espirituais, para receberem os benefícios daquela energia grandiosa.
        Na cassandra dos Ministros, o mestre e a ninfa, com qualquer indumentária, não só se beneficiam com sua revitalização energética como reforçam a energia que está sendo manipulada no Templo, ficando à mercê das forças do Ministro, de honra e guarda, recebendo a força direta e outros tipos de forças que são distribuídas no Templo e alcançando lugares e pessoas que sejam mentalizados.
        Por isso, não deve haver comunicação, conversas, com quem está na Cassandra. Pode, sim, um Arcano convidar a presença do seu Ministro na sua Cassandra.  Um mestre deve sentar com uma ninfa, mas ao Adjunto Arcano é permitido sentar-se sozinho ou com um convidado, que pode até ser alguém sem uniforme, para receber a emissão da força do Ministro.
        Para as cassandras das missionárias não existe uma lei específica, como para as dos Adjuntos. Para ocupar a cassandra da Falange Missionária a ninfa deve estar exclusivamente com sua indumentária da falange missionária, não sendo permitida sua entrada na cassandra com qualquer outro uniforme, nem mesmo de Prisioneira. Tanto ao entrar como ao sair, a ninfa, de pé, abre seu plexo e emite:
        MEU SENHOR E MEU DEUS!
        A MINHA MISSÃO É O MEU SACERDÓCIO!
        Enquanto estiver na cassandra, potente emissor de forças, a ninfa deve se manter em harmonia, tranqüila, não podendo falar nem gesticular. A incorporação é facultativa, quando se tratar de uma Contagem, mas não pode haver incorporação na Cassandra. O Mestre Lua ou a Ninfa Lua, se quiser incorporar, deverá sair da Cassandra, podendo ficar em frente. Ao entrar na cassandra deve pedir ao Recepcionista que evite que pessoas fiquem encostadas na cassandra.   Deve aproveitar para levar aquela força a quem precisar, mentalizando calmamente a quem pretende beneficiar.
        Você já viu o Sol refletindo num espelho e viu que podemos levar seu reflexo onde quer que queiramos pela movimentação do espelho. Na cassandra, sua mente age como espelho, refletindo toda aquela energia poderosa onde quer que a leve pelo poder da sua concentração. Inclusive para você mesma, que pode mentalizar seu corpo ou seus órgãos.
        Embora seja permanente a projeção de forças da cassandra, só se deve ocupá-la quando estiver sendo realizado algum trabalho no Templo. Um momento em que há maior concentração de forças – e que deve ser aproveitado – é quando estão sendo entregues as energias da Estrela Candente, na entrada da Escalada.
        Não se deve encostar e nem se apoiar nas Cassandras, uma vez que existe uma poderosa força sendo emitida, mesmo que ninguém esteja nela, o que pode causar perturbações em que fizer um contato físico com a estrutura da Cassandra.
        CASSANDRA é uma nave espacial etérica que, todos os dias, ao por do Sol, conduz os espíritos que se libertaram da Terra.
        "As cassandras ou estufas são ocupadas pelos Adjuntos. O Adjunto é senhor de sua cassandra e poderá colocar junto a ele quem lhe aprouver. Somente o 7º Raio autorizado poderá sentar-se na sua estufa. O Adjunto poderá sentar com sua escrava, como digo acima, porém um 7º, mesmo autorizado, não poderá sentar com a sua escrava, porque, falando de um 7º, falamos de um comando como o sentimos e as ninfas não são autorizadas, pelo nosso Pai Seta Branca, para comandarem.
        As ninfas do Vale do Amanhecer carregam sua função na linha de "Amor Ternura", que traduzimos a invocação para o complemento de forças nas aberturas.
        As cassandras só serão ocupadas pelos Adjuntos se o seu Mestre estiver no Templo ou em missão direta nos Templos do Amanhecer. O seu 7º, no caso, poderá autorizar o seu 6º Raio para substituí-lo. Outrossim, neste caso, chamamos HONRA E GUARDA. Naturalmente, este turno é demorado, o Mestre viajou, por conseguinte, ele deve mudar, porém, na mesma seqüência do seu 7º, obedecendo à força do seu 7º Raio, que é uma força decrescente.
        Como força decrescente, o 6º Raio poderá sentar-se ao lado de sua escrava. O 6º Raio não se trata de uma força de comando e, sim, Força Giratória. O 7º Raio é força decrescente de comando. Giratória chamamos força em movimento decrescente. (Tia Neiva, 18.2.79)
        “O Quinto Yurê Vancares ou Cautanenses, após receber a instrução de sua Estrela, terá a força necessária e precisa para certos comandos.
        No entanto, um Quinto Yurê ou Mestre Lua não pode sentar sozinho numa Cassandra, porque ele entra nas Sete Linhas de Olorum e vai formando a sua vibração fluídica, podendo, assim, atrapalhar todo o comando de um Trabalho Oficial.” (Tia Neiva, 21.8.83)

Mestre Caldeira (9)




        Salve Deus!
        Meus irmãos e minhas irmãs.
        Continuamos divulgando as aulas do Mestre Caldeira. Hoje é a continuação do trabalho de “Mesa Evangélica”.


        Veja bem! Nós, aqui no Amanhecer, temos os três poderes, a integração, a desintegração e a reintegração, nós possuímos dois deles: a integração e a desintegração. A integração está no domínio dos Cavaleiros, dos Ministros, das Entidades de Luz, que os recebem lá na Casas Transitórias, no Canal Vermelho, nos albergues... Aí sim, ele saiu desse plano, porque quando aqui ele está, ele não tem condições de ajudar ninguém, ele não tem condições de sair daqui se não for nessa condição.
        Então, veja bem! Nós temos aqui a Corrente Master do Templo (linha divisória do templo), que passa aqui, ó, isso aqui é a Corrente Mestra, né? Ela divide o Templo em dois, duas forças regem o Templo: Anoday e Anodai. Vocês podem perceber que existe, cada vez que você passa dessa parte do Templo para essa você abre o plexo, você faz uma reverência. Pra quê? Pra que você possa harmonizar o seu plexo, as suas forças com as energias existentes no Templo. Então, veja bem: você é um condutor de energias, você está, você é um, vamos dizer assim, um mini Templo, um Templo em miniatura, um ser humano, num Templo tem energias que se movimentam em grandes proporções, nós somos uma, tanto que na prece do meio-dia você fala: “O Senhor tem o seu Templo em meu íntimo...” Nós somos também um Templo. Agora, as forças que você vai receber no seu interior, nesse Templo que é o seu, o seu corpo, seu espírito, depende da sua sintonia, né? Por isso que as Entidades ficam o tempo todo falando com a gente: “Meu filho, eleve seu padrão vibratório, vamos pensar positivo, eleve seu pensamento a Deus.” Pra quê? Pra que a sua mente possa buscar um plano superior, onde existem as energias positivas, as energias curadoras e as desobsessivas.
        E esses espíritos que aqui passam, eles vivem no plano da Terra, no etérico da Terra, nas faixas que, então, estão com a força da Terra até a primeira, a força da primeira faixa do Canal Vermelho. Esse espaço aqui. Aqui tem sete planos, né? Pois bem.
        Na formação da Mesa nós vamos colocar da seguinte maneira: aqui está o Farol Mestre e o Comandante tá aqui, ele vai formar a Mesa encabeçando Ninfa Lua com Ajanã, um Ajanã... Veja bem: eu tenho aqui um Ajanã e uma Ninfa Lua, são dois poderes do Oráculo de Orolum, veja bem, um representa a força suprema e o outro a força absoluta, direta, isso, por isso que nós temos que colocar sempre, ter a preocupação, os Comandantes, de encabeçar a Mesa com uma Ninfa Lua, um Ajanã, uma Ninfa Lua, um Ajanã. E se não tiver Ajanã para realizar a Mesa? Tudo bem, coloca Ninfas Luas, não tem problema, mas se tiver vamos fazer dessa forma. Pois bem. Aqui na base da mesma forma.
        Existe uma, um costume que já tem, já virou lei praticamente, aqui na base eles colocam cinco, na contagem das vezes colocam cinco médiuns de incorporação, tem quatro Ninfas Luas e um Ajanã, a maioria dos Mestres coloca o Ajanã aqui no meio das Ninfas, quer dizer, das quatro Ninfas, aqui, bem no centro. O correto é colocar a Ninfa aqui e o Ajanã aqui, ó, ao Farol aqui, ó, Doutrinador, se tiver mais uma cê coloca aqui, ó, a Ninfa Lua aqui e o Ajanã aqui. Perfeito? Pois bem.
        O Comandante abre a Mesa, se harmoniza, nós entramos em sintonia com ele, a partir de então, que ele dá por aberto o trabalho, os nossos irmãozinhos começam a se manifestar aqui. Tia dizia que não é necessário uma doutrina muito longa, porque a movimentação do nosso magnético, era, embora por pouco tempo, era muito poderosa, muito densa, dava pra fazer uma doutrina breve, sem muita extensão e a entrega, ele recebe tudo que ele precisa e é encaminhado desse plano para o outro, aí sim, ele vai sair dessa faixa de sofrimento.
        Vejam bem os senhores que o espírito desencarnado, não vê a luz do sol, ele sente frio, ele sente fome, ele sente saudade, ele sente saudade da família e é aquela situação que ele não realiza porque ele não consegue encontrar, as pessoas, nós não conseguimos vê-los.
        O Comandante abre a Mesa e começa a passarem os espíritos aqui, nós, Doutrinadores, vamos circular no sentido dos ponteiros do relógio na Mesa, no sentido da Corrente Mestra, no sentido horário, limpando os Faróis aqui a cada vez que passa, certo? Até um tempo atrás se colocava Ninfa Sol no Farol, mas, isso quando o número de Doutrinadores era pequeno, mas hoje isso não é mais necessário, a Ninfa é amor e ternura, este trabalho mais pesado é pra nós, Doutrinadores, tá certo?
        Então, os Doutrinadores vão circular nesse sentido aqui, ó, no sentido horário, fazendo a limpeza dos Faróis, não há necessidade de fazer fila pra limpar ao Farol, o objetivo é limpar o Farol Mestre, o Farol que está aqui, o Mestre Doutrinador que está aqui sentado, se já tiver alguém aqui fazendo a limpeza e mais um esperando, você pode passar, agora se você está passando aqui e não tem ninguém, é obrigação sua parar e fazer a limpeza, porque este Doutrinador aqui, ele é uma espécie de catalisador.
        Veja bem: aqui nós estamos manipulando correntes negativas, porque que tem que ter um Doutrinador aqui, outro aqui, outro aqui? Para interromper o ciclo da corrente que chega até aqui, ó. Se tirar os Doutrinadores daqui aí vira terreiro, é o que se faz lá na, Salve Deus, né? Em vez de importar corrente e manipular nós vamos multiplicá-la e nosso objetivo aqui não é esse, é trazer a força necessária para elevar esses que aqui passam.
        Todos os dias, todos os dias, tem alguém, um Jaguar ou alguém que conhece o Amanhecer, passando por uma dificuldade em algum lugar, ele vibra, pede a Deus, fica vibrando em Pai Seta Branca, em Jesus e essa classe extensa de mentores vão lá, pegam aquele espírito e traz pra cá, aqui ele passa.
        Veja bem: toda vez que a Mesa Evangélica é aberta os planos espirituais formam uma outra Mesa etérica acima dessa aqui, eu vou pontilhar aqui pra detalhar, aqui também tem um Farol, uma Entidade de luz que fica aqui, ó, é uma cópia dessa, física, dessa Mesa física. Os Regentes dessa Mesa aqui, na Corrente Indiana do Espaço, é Pai João, Pai Zambô e Zambuzinho, não quer dizer com isso que eles estão lá, os três, na, toda vez eles estão lá, não, tem alguém que o representa, né?
        Interlocutora não identificada: É Pai João, Pai o quê?
        Pai João, Pai Zambô e Zambuzinho, é uma Entidade, Tia dizia que era uma Entidade desse tamanzinho assim, ó, é quem cuida dessa Mesa aqui, ó. Alguém me perguntou um dia se botar o nome naquele caixote ali, o que acontece? Cada vez que você escreve o nome de alguém e coloca naquele caixotinho na Mesa, essas Entidades aqui são responsáveis por dar uma verificada nessa pessoa aqui, eles vão lá realmente, cada vez que você botar o nome lá, eles vão lá, vão olhar e se tiver alguma necessidade eles trazem o espírito e passam aqui.
        Muito bem. O Comandante abre o trabalho, essa Mesa etérica é formada, começa, então, o trabalho de passarem os espíritos, vocês já observaram que fez ali um triângulo de seis pontas, né? O triângulo da evolução e da involução. Na verdade, é só uma representação, o trabalho, ele se faz com que a passagem dos espíritos desse plano para outro os eleva pra Deus, isso é o que? Evolução. Certa feita alguém me perguntou também se é possível alguém, num trabalho como esse, já que ele manipula corrente negativa, alguém pode prejudicar uma outra pessoa vibrando aqui. Isso não é possível. Porquê que não é possível? Eu vou contar uma historinha pra vocês, em uma das nossas encarnações em Katshimoshi, nós tínhamos o poder de, da magia, da magia quando ela vem pura do Céu, como Tia manipulava. Certa feita um grupo, em disputa com o outro, foram medir forças e um ficava vibrando e cortando a força e vibrando no outro. Não precisa dizer que foi um desastre, né? Pois bem.
        Com base nessa nossa história e conhecendo a nossa, a nossa transcendência, Pai Seta Branca tomou todas as providências para que isso não ocorresse novamente. Vocês já ouviram falar que existem duas forças básicas: a força centrífuga e a força centrípeta, não é assim? Pois bem. A Mesa, por ser um trabalho de manipulação de correntes, ela tem força centrípeta, ela puxa da periferia para cá, ela puxa as correntes de fora para dentro para serem manipuladas, ela não faz metáfora, correto? Deu pra entender? Pois bem.
        Os trabalhos iniciáticos têm força positiva, tem força centrífuga e centrípeta, se você tá num trabalho de, iniciático e vai alguém pedir a Deus, aquela força positiva, ela tá saindo lá, o que que tá acontecendo? A força tá saindo daqui pra lá, é força centrífuga. Deu pra entender ou tá muito confuso? Pois bem.
(Continua)
Adjunto Nelon Filho de Devas mestre Jorge Luis

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Mestre Caldeira ((8)




Salve Deus!
Meus irmãos, minhas irmãs.
Continuamos a divulgar as aulas do Adjunto Yumatã mestre Caldeira, hoje a aula é sobre a Mesa Evangélica. Como a aula é bastante extensa, vou dividi-la em várias postagens, para que seja mais fácil, mais acessível a nossa leitura e compreensão da aula.

Mesa Evangélica

Vamos Pedir a Jesus que nos dê condições necessárias para a realização deste trabalho.
        Os nossos mentores, incessantemente, procuram trazer pra nós tudo o que de mais puro há dos Mundos Superiores para o cumprimento da nossa missão. À medida que nós vamos compreendendo isso, é o que se fala: formar uma sintonia, o que é formar uma sintonia? É se ligar nesse mundo transcendente, nesse mundo espiritual que nos rege, para que possamos cumprir bem a nossa missão, o nosso sacerdócio.
        Todos os dias os Iniciados, nesse plano físico, recebem uma força direcionada para a sua sustentação e para o sustento daqueles que nos pertencem, daqueles que nos, que nos são caros, aqueles que estão sob a nossa responsabilidade espiritual. Nós não trabalhamos só para nós. Por isso, aquela prece do meio-dia, 3h e 8h da noite, é importante fazer, é o momento que nos ligamos e ativamos o nosso Aton de força, é uma das armas que nós temos para manter o nosso equilíbrio, nós estamos num plano físico aonde o contato da matéria pesada nos chama muito à razão e não poderia ser diferente.
        Vamos, então, nesse instante, meus irmãos, buscar, em Deus Pai Todo Poderoso, as forças benditas que os nossos mentores destinaram a nós para este trabalho, vamos elevar o nosso pensamento a Deus e pedir a Ele que faça de cada um de nós um verdadeiro instrumento da paz, da humildade, da tolerância, no socorro daqueles que por nós esperam.
        Graças a Deus!
        Vamos, nesse instante, elevar o nosso pensamento, acompanhar a emissão desse Mestre, que vai fazer aqui o seu canto e pedir que Nosso Senhor Jesus Cristo, o Grande Simiromba de Deus, envie os seus divinos mensageiros para nos assistir aqui, nessa bendita hora.
        Salve Deus! Mestre Rogério, Salve Deus!
        Durante a emissão desse Mestre procurem trazer para junto de nós, de cada um, os seus mentores, vibrando e pedindo a Deus, em busca das nossas realizações.
        Graças a Deus! Graças a Deus! Emissão e canto (Mestre Rogério)
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. 3X Graças a Deus!
        Meus irmãos e Mestres, esse plano da Terra, o plano físico, que ora nos encontrarmos encarnados, ele foi concebido, originalmente, pra ser um ponto de transição de espíritos encarnados, ocorre que alguns, durante toda uma existência aqui, se endividam e não conseguem alcançar as faixas de evolução superior. Como nós estamos em um plano que tem uma lei, essa lei é dos mundos espirituais, cada plano tem a sua lei que o rege. Por exemplo: o plano da Terra é o plano físico, onde os contatos físicos, a luta pelo dia a dia, pra você se deslocar é preciso que você, se for uma distância muito grande ter que ter uma condução, pra você conseguir sobreviver é necessário ter o trabalho pra você gerar uma coisa chamada dinheiro, senão você não vive. Tá certo?
        Então, essa é lei desse plano. Todos nós que aqui estamos viemos para cá com um objetivo. Estabelecemos, então, a data de voltar, alguns, enquanto aqui estão, preocupam-se unicamente em acumular bens materiais, mas, vejamos bem, os bens materiais, eles pertencem à Terra, tudo que aqui nós temos é para o nosso usufruto enquanto aqui estivermos, é necessário que o homem volte a mente para Deus porque aqui é um plano de transição.
        Acontece que muitos, durante toda a sua vida, não param um instante para pensar em Deus, pra fazer uma prece, pra se preocupar com a vida vindoura, que um dia ele vai sair desse plano. Ao desencarnar ele permanece aqui em busca de realizar aquilo que ele, em vida, não conseguiu muitas vezes, em busca de uma vingança de alguém que ele acha que o prejudicou. Então, ele fica preso nessa faixa, ele nem está encarnado, está na Terra, mas, não está encarnado, mas, também num tá no plano espiritual.
        Acontece o seguinte: começa então, a grande luta para obter a sobrevivência, vai, então, começar um processo que prejudica muito a humanidade hoje, aliás, prejudica sempre, o contato com o mundo dos vivos. São aquelas, já aquelas coisas que eles provocam para gerar energia que os sustentam no mundo onde eles vivem.
        Pai Seta Branca, esse espírito iluminado, Missionário de Jesus, trouxe para nós todos os trabalhos, uma condição de passar qualquer espírito encarnado, aliás, qualquer espírito desencarnado na aura da Terra. Para um espírito recém desencarnado nós temos uma Mesa Evangélica, né? Para o Elítrio nós temos uma Cura que o desintegra, desloca e o encaminha ao mundo espiritual, para retirar uma corrente negativa nós temos a Indução e para passar as grandes inteligências do Mundo Negro, que são espíritos sabidos, que manipulam outros, existe o trabalho da Estrela Candente.
        Até então, eles se achavam senhores de tudo aquilo, quando eles influem em uma religião, por exemplo, em um Governo, eles provocam o que eles querem, até o dia que começaram a passar neste trabalho, foi então que começaram a despertar que existe algo além deles. Mas nós não vamos falar hoje sobre eles nem sobre a Estrela Candente. Vamos falar hoje sobre a Mesa Evangélica.
        A Mesa Evangélica é um trabalho que nós nos propomos a realizar na Corrente Indiana do Espaço, para passagem de espíritos sofredores. Aquele trabalho é, parece muito simples, mas ele é de uma, de uma grandeza infinita, é de uma precisão muito grande. Vamos, então, agora, eu vou botar aqui no quadro pra vocês...
        Esse triângulo aqui, ele representa as três forças que Jesus deixou pra nós, que é a base da evolução da humanidade na Terra, que é o Amor, a Humildade e a Tolerância. Traduzindo isso para o trabalho, nós temos aqui, a Mesa Evangélica, se vocês observarem no meio, ela fica no coração do
        Templo, praticamente, né? É o primeiro trabalho que nós realizamos quando fazemos a nossa preparação. Porque que você pode sentar nessa Mesa aqui e o Doutrinador pode fazer uma doutrina, para elevar um espírito nessa condição?
        Você pode sentar nessa Mesa aqui porque você é um médium preparado, um médium desenvolvido na Corrente Indiana do Espaço, recebeu sete Mantras de força sobre o plexo, recebeu a força de sete Cassandras na Elevação de Espadas. Isso possibilita você a receber uma força que vai te dar condições de manipular a energia desses espíritos, desses nossos irmãos, eles são seres humanos como nós, eles só não têm um corpo físico e a única condição dele passar desse plano para outro é passar num trabalho desse. Porquê? Existe uma energia chamada Neutrom, que nos separa deste plano para o plano espiritual, quando o Doutrinador faz a doutrina e o entrega, ele abre o Neutrom, ou seja, ele abre uma porta, desintegra o espírito, ele passa desse plano para o outro e ele lá se reintegra.
(Continua)
Adjunto Nelon Filho de Devas mestre Jorge Luis

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Mestre Caldeira (7)




        Salve Deus!
        Meu irmão, minha irmã.
        Mais uma aula, mais um esclarecimento do Adjunto Yumatã mestre Caldeira, que chama a atenção das alterações à Doutrina, dizendo mesmo que nenhum de nós tem capacidade para alterar seja o que for deixado pela nossa Mãe e Mentora Tia Neiva.
        - Porque senão o médium vai se confundir ou ele vai dizer assim: “Então, aqui ninguém sabe nada, um fala uma coisa outro fala outra.” Tá certo? Vai trazer transtorno, é claro, né? E vai se complicar. É algo sério, isto não é brincadeira!

        O Leito Magnético não, o Leito Magnético não tem nada, ele não atrapalha em nada a preparação. Não, a Pira, a frente da Pira tá desocupada e atrás, onde cê vai passar também tá desocupado, haja vista que funciona a Mesa durante. Eu tenho uma foto, eu tenho uma foto de uma Mesa Evangélica funcionando, é como se um Farol tivesse dentro duma, é como se uma, a primeira Ninfa ali, ao lado do Farol tivesse dentro duma bola de fogo. E tenho uma foto das energias do Leito, que são as energias cruzadas assim, cinzas, certo? E você vai ver perfeitamente uma linha dourada, várias, uma ramificação assim, dourada, que é da Mesa, porque a Mesa estava funcionando durante o Leito Magnético. Então, é uma dádiva divina.
        Quando nós fomos fazer o primeiro Leito Magnético nós fizemos dentro da Estrela Candente, o primeiro Leito foi feito dentro da Estrela Candente. Eu, Alberto, Efrem e outros que participaram, nós fizemos dentro da Estrela Candente, o primeiro Leito. Depois a Tia falou: “Vamos fazer no Templo.” Nós fizemos num sábado, lembra disso? Depois que firmou na quarta-feira. E ela disse: “Meu filho, toda vez que for fazer o Leito é importante que a Mesa funcione, pra que desprenda o magnético pra sustentação daquela energia.”
        Quando nós fizemos, nós fazíamos o Leito e a Mesa funcionando, tia ficava sentada ali, ao lado, tá os médiuns velhos aí que sabe disso. Jurema é uma que participava lá, os meninos. Tia ficava sentada ali ao lado, dizia: “Meus filhos, eu queria que vocês vissem o que eu estou vendo.” E a Mesa funcionando. Será que ela, como Clarividente, dizia: “Gente, num pode funcionar essa Mesa, para essa Mesa. Gente, olha, o médium tá fazendo a preparação com o Leito funcionando.” Mas, será possível, gente? Ou então nós tamo ficando tudo doido, só pode.   Como é que se fala uma coisa dessa, gente? Alguma coisa tá errada aí. Porque esse Mestres Instrutores, todos esses são Instrutores, eles passam acompanhando esses grupos de Instrutor, os Aparás, Doutrinadores, explicando a doutrina correta, como existe no Manual de Instrução. Esse médium inicia, faz a Elevação de Espada, quando ele vai fazer a Centúria, ele recebe um monte de coisa desencontrada.   Então, como é que vai ficar esse médium? Eu te pergunto: esse médium vai acreditar em quem? Nos Instrutores que passaram durante essa temporada todinha no Templo ou no Instrutor de Centúria? Alguma coisa tá errada. Precisamos ajustar isso aí. Tá certo, minha gente?
        Não estou aqui, veja bem, nenhum de nós estamos aqui atacando ou desfazendo de nenhum Instrutor, nós tamo falando dos ensinamentos, que precisa se ajustar, porque senão vai trazer confusão na cabeça desses médiuns. Exatamente, ué! Num é? Vai trazer confusão.
        Olha, quando eu comecei o Desenvolvimento, coordenar o Desenvolvimento ali, chegou um rapaz, até inteligente, falou pra mim: “Mestre, em quem eu devo acreditar? Naquele que me ensinou o Passe Magnético no primeiro dia ou no que me ensinou o Passe Magnético hoje, na segunda aula? Porque são duas coisas completamente diferentes.” Né? Eu aí me preocupei, chamei, nós chamamos pro Castelo, cês se lembram disso e expliquei como funciona realmente o Passe Magnético e padronizamos. Porque o jeito que era dado o primeiro, o Passe Magnético na primeira aula se dava até toda a vida e até o final, por causa dessas coisas. Porque senão o médium vai se confundir ou ele vai dizer assim: “Então, aqui ninguém sabe nada, um fala uma coisa outro fala outra.” Tá certo?
        Olha, nós temos leis e normas desse Amanhecer e não podemos sair dessas normas, dessas leis, não podemos criar nada e nem inventar nada, nós não temos capacidade pra criar nada. Porque, preste bem atenção, tudo foi trazido dos planos espirituais por uma Clarividente e nos deu mil provas disso, foi trazido do Céu, por uma Clarividente, tudo que nós temos, se nós largarmos esses ensinamentos da Clarividente e partirmos por conta própria nós vamos cair num buraco, pode ter certeza disso. Tá certo?
        Então... Por isso tá decaindo as nossas coisas, às vezes, por essa, por esse tipo de informação incorreta da nossa doutrina, nós temos que, nós temos que reforçar esse Mestrado, apoiar esses Instrutores, porque esses Instrutores hoje estão sozinhos, porque eles falam uma coisa e depois os outros falam outras. Vai trazer transtorno, é claro, né? E vai se complicar.
        Vejam bem: uma Ninfa de prisioneira, ela não deve, porque ela está de indumentária, é uma indumentária, mas, o Doutrinador não. O Doutrinador, inclusive, de prisioneiro, ele só não pode comandar onde for Reino Central. Mas, ele pode comandar um Trono, ele pode comandar uma Linha de Passe. Num é não, Jurema? Aonde num for Reino Central ele pode comandar, uai!
        O que que é Reino Central? É onde é uma força direta, força indireta ele pode comandar, não tem problema nenhum. O que que tem, qual é o problema que tem você, de prisioneiro, tomar um passe? Afeta em que?
        Qual é o problema que tem? Tem nada a ver. Salve Deus, gente!
        Olha, eu quero que vocês entendam uma coisa: nós, nenhum de nós, nenhum de nós tem o direito de criticar esse ou aquele nesse Amanhecer, porque tudo é evolução, né? Tudo é evolução. Porém, porém, se tratando das coisas da Doutrina tem que ser correta, tem que ser exata e precisa pra que todos nós passamos a ganhar, né? não temo o direito de criticar ninguém, todos estamos no caminho da evolução. O sujeito faz uma coisa hoje errada, eu também já fiz, vocês também já fizeram, grandes Mestres deste Amanhecer já fizeram coisas erradas no início. Tá tudo certo.
        Mas hoje, gente, nós estamos numa condição que o que você falar é lei, porque você tem um plexo iniciático e esta força, ela vai impregnada, o Mestre que recebe hoje uma instrução pode passar 10 anos que ele vai dizer: “Aquele Mestre foi o meu Instrutor e me falou isso, isso e isso.” Porquê? Porque vai impregnada. É algo sério, isto não é brincadeira!
        Você ser um Instrutor, é muito sério você ser um Instrutor, não é qualquer um não, que vai chegar lá e dar instrução. Não! Nós tínhamos 248 Instrutor quando eu coordenava o Desenvolvimento, mas tinha os Coordenadores de cada grupo, pra quê? Pra que o Mestre, qualquer um não fosse chegar lá e fosse dar instrução e falar um monte de bobagem. Num era assim?
        Salve Deus!
        Vamos encerrar o nosso trabalho, pedindo a Jesus e ao grande Mestre, nosso Pai Seta Branca, o Simiromba de Deus, que nesse trabalho sejam manipulado as forças necessárias para cada um.
        Mentalize os vossos familiares, as vossas vidas, as vossas necessidades. Vamos pedir a Jesus que os poderes de Koatay 108 possam nesse instante nos favorecer, que os olhos de nossa Mãe mentora possam registrar mais esse trabalho, porque nós estamos nesses ensinamentos, nessa formação, em busca das forças benditas de Deus Pai Todo Poderoso e na condição de esclarecermos melhor.
        Jesus, Divino e Amado Mestre, como vós disseste, Jesus, que aonde houvesse duas ou mais pessoas reunidas em teu santo nome, estarias presente entre elas em espírito e verdade.
        Nesse instante, Jesus, invoco os poderes da Divina Legião do Grandioso Mestre Lázaro, o poder dos grandes Cavaleiros de Oxosse, desses abnegados mensageiros de Jesus, que manipule a força da cura, a força da desobsessão, a cura do espírito e do corpo físico, a verdadeira cura iniciática.
        E em nome de Deus Pai Todo Poderoso, de Nosso Senhor Jesus Cristo e da Virgem Santíssima, de Pai Seta Branca e Mãe Yara, da Corrente Indiana do Espaço e das Correntes Brancas do Oriente Maior. E em nome dos Mentores responsáveis por esse trabalho, com a sua permissão, eu... (emissão e canto)
(Continua)
Adjunto Nelon Filho de Devas mestre Jorge Luis

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Mestre Caldeira (6)



        Salve Deus!
        Meu irmão, minha irmã.
        Mais uma aula do Adjunto Yumatã mestre Caldeira. Esta aula fala da Estrela de Aspirantes e da formação da Mesa Evangélica, os faróis da mesa e a Mesa Evangélica Etérica.
        Como sempre muito bem explicado pelo Mestre Caldeira.
        Em 1979, não, 1980, Mãe Yara trouxe dos Planos Espirituais, do Oráculo de Olorum, do Oráculo de Olorum, um trabalho chamado Estrela de Aspirantes, foi trazido por Mãe Yara. Um acerto que ela fez com Pai João, que trouxe do Oráculo de Olorum, um poder, que é comandado pelo um Ajanã, na hora da entrega é feito pela Ninfa Sol, mas, o comando é do Ajanã.
        Por isso é que ela trouxe do oráculo de Olorum exatamente pra isso, pra quê? Pra que aquele médium vai formando no plexo dele um Aton de força que vai se equilibrando, que ele vai se emanando, ele vai se revestindo com aquela força, para o equilíbrio dele, para a condição dele e tal, chamado Estrela de Aspirantes. Só que ela terá que sair do Turigano, acompanhado por Mestres que, sob uma Côrte, vai na Estrela Candente, faz o ritual, volta pela Côrte e eles só são liberados quando eles entregam no Turigano. Porque a espiritualidade não perde nada, né?
        Se você é um profissional, já, da doutrina, o Mestre elevado, não, você pode fazer a sua Escalada, vim sozinho pro Templo, ou passa em casa, toma um café ou conversa com alguém, tá tudo certo, você é um profissional, né? O Aspirante não, ele tem que ir sob uma Côrte e
voltar sob uma Côrte e ele só é liberado quando ele chegar no Turigano, porque só Deus sabe o que que pode acontecer com aquele médium, se ele sair daquele, daquele percurso ali. É algo muito sério. 
        Isso tudo sem exigir nada, sem discutir, não! Vai lá, tem Mestres responsáveis que vão lá, conduz aqueles médiuns, traz e passam ali, eles vão reforçando o plexo, eles vai, Mãe Yara dizia que eles vão recebendo como uma, como um revestimento pra cada um e cada um vai tendo um equilíbrio, vai ajustando a sua mediunidade. É muito importante isso, gente! Tá certo?
        Salve Deus!
        Vocês têm alguma pergunta ou querem encerrar ? Porque pelo meu tamanho eu já falei muito, né? Se vocês tiverem alguma pergunta, perguntem.
        Porque ela forma, ela forma uma Estrela. É, eles ficam, no plano físico o Farol fica de, com a costa pra Pira, o Farol Mestre fica com as costas pra Pira e ele ao contrário, ele fica com a costa pro Randy. Tá certo? O Farol Mestre fica com as costas pro Randy, é o cruzamento das forças, então, ele fica o contrário da nossa Estrela, formando um outro triângulo ao inverso, que fica igual a Estrela Candente. Tá certo? Salve Deus!
        Primeiro, os Faróis precisam entender que ele está realizando um trabalho, a Mesa, ela é a bateria da Corrente Mestra do Templo, a Mesa, independente dela tá funcionando, ela é a bateria da Corrente Mestra do Templo. Observe que só abre a Corrente, só abre a Corrente, só abre a, o primeiro trabalho a abrir depois da Corrente é a Mesa Evangélica, num é isso? Depois é que vai abrir Tronos, depois é que vai abrir os trabalhos e tal, mas, o primeiro trabalho a abrir após a abertura do trabalho é a Mesa Evangélica.
        Vejam bem. São duas coisas distintas. Na Bênção do Pai se faz a preparação lá em frente à imagem de Pai Seta Branca, na Bênção do Pai, certo? Porque a Pira está ocupada, que eles chamam de Presença Divina, mas, o Pai está no Templo, está ali incorporado em cima da Pira, você fazendo a preparação em frente o Cristo ou em frente à imagem dele, graças a Deus. Né?
(Continua)

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Mensagem do Adjunto Apurê



Salve Deus!
        Uma doutrina de amor não necessita quebrar um médium somente pra dizer que tem força. Como disse nossa mãe clarividente, uma casa equilibrada os fenômenos da cura se processam na individualidade.
        Os médiuns muitas vezes criam obstáculos voltando suas armas contra si mesmos desacreditando-se e desacreditando ao seu redor.    Muito triste quando um médium desacredita uma casa de Seta Branca, porque ali não encontrou o que queria, desarmonia, violência e falatórios.
        Um templo não é para mistificação, e sim, para evolução, com amor e não pelo ódio, inveja e ciúmes.
        Se eu abrir as portas para as correntes negativas elas podem destruir um caminho e quem vai pagar a conta.
        No templo só entra espíritos que os mentores permitirem.
        Deem graças a Deus de terem paz em vossos corações, a vida já é dura e nos cobra muitas dores. Então porque machucar os médiuns deixando eles serem escravizados em suas Missões.
        Aqui tem muito amor, como disse Tia Neiva, sem o amor não há evolução.
        Não procurem os fofoqueiros de plantão. Procurem os mentores e busquem a verdade.
        A mentira tem pernas curtas. Uma hora a verdade aparece.
        Eu quero que todos sejam felizes, mas não se entreguem as inverdades infernais que muitos caluniam esquecendo que São filhos do mesmo amanhecer.
        Depois do ato cometido a dor vem fazer a reparação.
        Salve Deus
Adjunto apure
(Subscrevo na totalidade este texto do Adjunto Apurê)
Adjunto Nelon Filho de Devas mestre Jorge Luis

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Trinos Triada



A ORIGEM E A FINALIDADE DOS TRINOS TRIADA
Salve Deus!
        Me pediram para que detalhássemos, de forma mais objetiva, a formação, a origem e a função dos nossos Trinos Triada Presidentes, citados nas Chaves deixadas pela Clarividente, utilizada para abrirmos a Corrente Mestra e outros trabalhos.
        Em um primeiro momento, sinto-me pequeno para falar de um assunto tão importante quanto esse, apesar de ser tópico bem detalhado nas aulas do Curso de Sétimo Raio, e tive a feliz oportunidade de ser o primeiro instrutor a ministrar o Curso de Sétimo Raio depois do desenlace do Primeiro Mestre Jaguar Trino Arakén.
        Mas, apenas para que possamos detalhar de uma forma que seja interpretado pelo douto e pelo menos letrado, precisamos explanar o seguinte:
        A Doutrina do Amanhecer não é apenas mais uma religião, das milhares existentes na terra, pelo contrário, a melhor definição que encontro para a Doutrina do Amanhecer é de que ela é uma CIÊNCIA ETÉRICA, ALICERÇADA EM UM PODER CABALÍSTICO.
        Quando falamos nesse PODER CABALÍSTICO (sobre o qual a Doutrina do Amanhecer está alicerçada), falamos do PODER DE DEUS PAI TODO PODEROSO, que decresce para Jesus, para o Pai Seta Branca, para os Trinos, para os Adjuntos, e por aí vai, até chegar ao último Mestre ou Ninfa, filho ou filha do Pai Seta Branca, através da FORÇA DECRESCENTE da qual tanto falamos e, aí, temos então o PODER CABALÍSTICO manifestado em nossos rituais, desde que mantida a originalidade da forma e da essência, traduzidos pela Clarividente através das nossas Leis e Chaves Ritualísticas.
        Mas, para que DEUS, o GRANDE DEUS permita que um PODER CABALÍSTICO se manifeste na terra, existem alguns quesitos, obrigatórios para que esse poder se faça presente, ou seja, sem um desses requisitos, esse poder NÃO SE MANIFESTARÁ, ou será RECOLHIDO aos Planos Espirituais, como vimos no Cisma de Ireshin, na África, quando aquele poder foi recolhido e ali ficaram aqueles Sacerdotes, realizando apenas um ritual bonito, nesse terceiro plano, sem as forças necessárias à manifestação do PODER CABALÍSTICO.
        Então, para que esse PODER CABALÍSTICO se manifeste, são necessários o Conhecimento, a Invocação e uma Finalidade, pelos seguintes motivos:
        1. – O CONHECIMENTO – Sem o conhecimento necessário, qualquer sacerdócio que se disponha a buscar um Poder Cabalístico estará fadado ao insucesso, por não ter o esclarecimento sobre COMO PROCEDER, COMO INVOCAR, O QUE FAZER, O QUE FALAR, ONDE BUSCAR, etc.
        1.1 – Para que a Doutrina do Amanhecer pudesse dispor desse conhecimento, foi necessário que o 1° Mestre Sol TRINO TUMUCHY Mestre MARIO SASSI buscasse, através de sua HERANÇA TRANSCENDENTAL INDIVIDUAL, o PODER DO CONHECIMENTO e, por HERANÇA TRANSFERIDA, autorizasse que cada Mestre Jaguar Adjuração COMANDANTE pudesse invocar esse poder, por isso, na chave de Abertura da Corrente Mestra, dizemos: “Com a PERMISSÃO do 1° Mestre Sol, Trino Tumuchy…”.
        2. O PODER DA INVOCAÇÃO – Quando se invoca algo, espera-se que, do outro lado, nos Planos Espirituais, alguém ouça esta invocação e, de lá, projete a força que se é invocada. Para que, do outro lado, essa força invocada possa ser projetada até o local onde foi feita a invocação, esse “invocador” tem que ser CONHECIDO DO OUTRO LADO, ou seja, para ser ouvido pelos Planos Espirituais, esse Mestre precisa de alguém, do outro lado, que o garanta, que esteja compromissado com a missão do Plano Físico e que se disponha a projetar esse Poder para aquele que invocou.
        2.1 – Para que a Doutrina do Amanhecer pudesse dispor desse PODER DE INVOCAÇÃO, foi necessário que o 1° Mestre Jaguar TRINO ARAKÉN Mestre NESTOR SABATOVICZ buscasse, através de sua HERANÇA TRANSCENDENTAL INDIVIDUAL, o PODER DA INVOCAÇÃO e, por HERANÇA TRANSFERIDA, autorizasse que cada Mestre Jaguar Adjuração COMANDANTE pudesse invocar esse poder, por isso, na chave de Abertura da Corrente Mestra, dizemos: “Com a PERMISSÃO …. do 1° Mestre Jaguar, Trino Arakén...”.
        3. FINALIDADE – Em Sua Onipotência, DEUS PAI TODO PODEROSO não permite que um Poder Cabalístico seja projetado para a Terra em Sua decrescência, sem que seja por uma FINALIDADE OBJETIVA, ou seja, DEUS não manifesta um Poder Cabalístico na Terra para me agradar ou para agradar a quem quer que seja, somente o faz com uma FINALIDADE DIVINA.
Assim, a Doutrina do Amanhecer já possuía o Conhecimento e o Poder de Invocação necessários para trazer um Poder Cabalístico na terra, mas, faltava o motivo, a finalidade, a razão pela qual DEUS PAI TODO PODEROSO pudesse permitir mais uma vez a manifestação desse PODER CABALÍSTICO na terra.
Dessa finalidade cuidou o PAI SETA BRANCA, quando definiu a missão da Doutrina na Terra: A CURA DESOBSESSIVA. Assim, já tínhamos a finalidade, faltava apenas um encarnado capaz de trazer esse Poder da CURA para o plano físico.
        3.1 – Para que a Doutrina do Amanhecer pudesse dispor dessa FINALIDADE, foi necessário que o 1° Mestre Sol TRINO SUMANÃ Mestre MICHEL HANNA buscasse, através de sua HERANÇA TRANSCENDENTAL INDIVIDUAL, o PODER DA CURA e, por HERANÇA TRANSFERIDA, autorizasse que cada Mestre Jaguar Adjuração COMANDANTE pudesse invocar esse poder, por isso, na chave de Abertura da Corrente Mestra, dizemos: “Com a PERMISSÃO …. do 1° Mestre Sol, Trino Sumanã...”.
        Dessa forma, também por HERANÇA TRANSFERIDA, cada um dos 3 Trinos dispunha, além da Força de sua HERANÇA TRANSCENDENTAL INDIVIDUAL, também da Força das HERANÇAS TRANSCENDENTAIS INDIVIDUAIS dos outros 2 Trinos, ou seja, cada Trino dispunha então daquelas 3 forças trazidas por cada um deles.
Por isso, na emissão dos Mestres, citamos:
        “Acabo de receber de Deus Pai Todo Poderoso, na minha Legião, o Título de Mestre Instrutor Universal, das três forças ligadas aos poderes deste amanhecer…"
        Completando então, cada um dos Trinos Triada Presidentes dispondo de 3 Forças e, as 3 somadas (3 Tumuchy + 3 Arakén + 3 Sumanã) é igual a 9, formando-se assim o SANTO NONO, bem definido no Ritual da Estrela Sublimação / Nerhú.
        Então, quando Tia Neiva formou esses três Trinos, Ela deu a possibilidade para que o Poder Cabalístico de Deus Pai Todo Poderoso se manifestasse na terra, através das Leis e Chaves Ritualísticas levadas a efeito pelo Mestre Ajuração Centurião (Doutrinador Comandante).
        Então, porque Tia Neiva trouxe um quarto Trino? Não estava tudo pronto? Ou estava faltando alguma coisa? Para explicar isso, temos que detalhar outros valores, outras informações…
        Para esclarecer melhor isso, lembramos o nosso Saudoso Mestre Nestor, 1° Mestre Jaguar, que sempre nos relatava no Curso de 7° Raio que, para aceitarmos essa encarnação, nós Jaguares precisamos ser doutrinados por cem anos!
        Ora, uma doutrina de sofredor, na Mesa Evangélica, raramente dura mais que 3 a 5 minutos, e aquele irmãozinho volta para Deus. É nesse ponto que paro e penso como ele pode aceitar em tão pouco tempo e eu, Jaguar, Mestre, Espírito Espartano, precisei de cem anos para aceitar?
        Simples: Quando pertencíamos às legiões de Reili e Dubali, como Cavaleiros Mercenários, dispúnhamos de hierarquias, conquistadas através de guerras, de batalhas, de conquistas de povos e regiões, tanto no plano físico quanto no plano perispiritual. Naquela época, éramos pagãos, ou seja, NÃO ACREDITÁVAMOS EM JESUS, seguíamos ao Deus Apolo (Deus Pagão).
        Após o advento de Reili e Dubali no Morro do Calvário (Bem definido nas aulas de Evangelização, as quais devem começar a ser ministradas ainda este ano ou, no máximo até o início de 2015 com os roteiros elaborados pelo Adj Adelano e pelo Adj Anoro – cumprindo a determinação de Tia Neiva datada de 1983), o nosso “Deus”, o Deus Apolo, também se voltou para o lado Crístico, entendendo que não era Deus, ou seja, que acima dele existia Deus Pai Todo Poderoso, Jesus e muitos Planos Espirituais que ele nem conhecia.
        Daí ficamos nós, espíritos detentores de hierarquias que conquistamos através de Guerras, e um "Deus“ que deixou de ser “Deus” e se uniu a Jesus, que representa valores opostos ao conflito, à luta, e onde as hierarquias eram conquistadas através da pureza de motivos, do Amor incondicional…
        Assim, aqueles cem anos que passamos sendo doutrinados para aceitar essa encarnação foi pelo fato de que, quando seguíamos ao Deus Apolo, nossas hierarquias eram conquistadas pela força, pela guerra, pela luta. Nas falanges de Jesus, às quais o “Deus” Apolo se unificou, os critérios para se conseguir essas hierarquias eram o AMOR, a HUMILDADE e a TOLERÂNCIA, valores opostos aos que até então nós vivíamos.
        Por isso, os cantos da Nityama Madruxa e da Grega, começam assim: “Oh Deus Apolo, Unificado em Cristo Jesus! ”.
Pela mesma razão, no canto da Yuricy no Turigano relata: “Oh Jesus! Neste instante piso o solo do Turigano, fazendo presente no Santuário de Delfos, o Deus Apolo unificado em Deus Pai Todo Poderoso. ”.
        Então, já dispúnhamos de condições suficientes para trazer à terra um Poder Cabalístico, entretanto, ainda éramos, em nossa essência, espíritos que seguiam um Deus Pagão, como nos relata o Canto do 1° Mestre Jaguar: “…Comandei Galeras, servi a um Deus Pagão…! ”.
        Resumindo, cada Trino dispondo de 3 poderes (3X3 = 9) formou-se o Santo Nono.
        Com um Quarto Trino (Trino Ajarã Mestre Gilberto Zelaya), a multiplicação divina passou a contar com 4 Trinos, formando: 3×4 = 12, que representam os 12 discípulos de Jesus.
        4. CRISTIANISMO – Apesar de dispormos de todas as condições para invocar um Poder Cabalístico na Terra, sem a força de Jesus, nós não seríamos CRÍSTICOS, impossibilitando nosso retorno às nossas origens, pois, como nos relatam as sagradas escrituras, JESUS é o Caminho da Verdade e da Vida, e ninguém vai ao Pai sem que seja através Dele!
        4.1 Então, para que a Doutrina do Amanhecer pudesse ser CRÍSTICA, foi necessário que o Jaguar Mestre Sol, Primeiro Doutrinador deste Amanhecer, Trino AJARÃ Mestre GILBERTO ZELAYA buscasse, através de sua HERANÇA TRANSCENDENTAL INDIVIDUAL, a força Crística que nos permitiria invocar esse Poder através da FORÇA DECRESCENTE de JESUS, o Mestre dos Mestres e, por isso, na chave de Abertura da Corrente Mestra, completamos: “Com a PERMISSÃO …. e do Jaguar Mestre Sol, Primeiro Doutrinador deste Amanhecer, Trino Ajarã…”.
        Esperando ter sido compreendido, como dissemos no início, pelo douto e pelo menos letrado, complementamos ainda que, TUMUCHY, ARAKÉN, SUMANÃ e AJARÃ são Heranças INDIVIDUAIS dos Espíritos que, nesta encarnação, respectivamente chamamos de MARIO SASSI, NESTOR SABATOVICZ, MICHEL HANNA e GILBERTO ZELAYA, sendo absolutamente impossível que outro espírito, encarnado ou desencarnado, pudesse trazer à terra, manipular, emitir ou autorizar que se invocasse esses poderes.
        Portanto, desnecessário dizer que é absolutamente impossível existirem outros Trinos Triada Presidentes TUMUCHY, ARAKÉN, SUMANÃ ou AJARÃ dentro dessa contagem, pois ela é uma Contagem Cabalística perfeita e COMPLETA, sem falhas, sem possibilidade de alterações.
        Continuando a Multiplicação Divina das Forças, completamos então:
        Cada Trino dispondo de 3 poderes (3X3 = 9) formou-se o Santo Nono;
        Com um Quarto Trino (Trino Ajarã Mestre Gilberto Zelaya), a multiplicação divina passou a contar com 4 Trinos, formando: 3×4 = 12, que representam os 12 discípulos de Jesus, nos fazendo Crísticos;
Com esses 12 X 9 somamos 108, para que se eternizasse a contagem Cabalística das conquistas de nossa Mãe Clarividente, as quais trouxeram todo o Sistema físico, espiritual, doutrinário e ritualístico que compõe a Doutrina do Amanhecer, desde o ritual mais simples e evangélico às nossas Estrelas Candentes, razão pela qual foi consagrada AGLA KOATAY 108!
        Se o Trino Tumuchy Mestre Mario Sassi não houvesse trazido a força de sua Herança Individual para a terra através de sua consagração de Trino Triada, não teríamos o PODER DO CONHECIMENTO;
        Se o Trino Arakén Mestre Nestor Sabatovicz não houvesse trazido a força de sua Herança Individual para a terra através de sua consagração de Trino Triada, não teríamos o PODER DA INVOCAÇÃO;
        Se o Trino Sumanã Mestre Michel Hanna não houvesse trazido a força de sua Herança Individual para a terra através de sua consagração de Trino Triada, não teríamos o PODER DA CURA;
        Se o Trino Ajarã Mestre Gilberto Zelaya não houvesse trazido a força de sua Herança Individual para a terra através de sua consagração de Trino Triada, teríamos todos os Poderes necessários a uma manipulação Cabalística, mas estaríamos fora da Contagem de Jesus, ou seja, não faríamos parte do SISTEMA CRÍSTICO.
        Exatamente por isso, hoje temos apenas dois dos nossos Trinos Triada Presidentes encarnados (Trino Sumanã e Trino Ajarã) e, mesmo assim, nas chaves de abertura dos trabalhos, continuamos citando os 4 trinos, pois, os dois Trinos desencarnados (Trino Tumuchy e Trino Arakén) continuam emitindo seus poderes para nós, de seu aledá no eterno, como o farão o Trino Sumanã e o Trino Ajarã quando também partirem para o Plano Espiritual!
Salve Deus!
Marcos Antônio de Souza – Adjunto Anoro
7° Raio Adjuração Arcanos Rama 2000

Coordenador Ajarã Triângulo Mineiro